segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Bibidi Bobidi Books – Book Haul fevereiro 2016

Bem, chegou aquela altura do mês em que faço um apanhado de todos os livros que apareceram cá em casa como por magia, tal como o nome do post indica (não, eu não os comprei foi um feiticeiro que me fez o favor de mos dar... era bom era, ficaria com bem mais dinheiro na carteira).
Antes de falar dos que comprei, vou falar do que ganhei, que foi o do “Homem que mordeu o Cão” e que ganhei num passatempo num blog o mês passado, só que como só chegou este mês fica também aqui. :)
A minha primeira compra/desgraça do mês foi numa promoção feita pela editora Saída da Emergência, que consistia em ter um vale de 5€ de desconto em livros, caso gastasses mais do que 20€.
Eu tenho um problema que é o seguinte, se tenho um vale obviamente que tenho que o gastar, logo a bela da Iara teve que aproveitar esta promoçãozita e encomendou o “Herói das Eras – Parte II”, “Sangue Fresco” e o “Exílio”.
A coisa engraçada nesta promoção é que só paguei o livro do “Herói das Eras – Parte II”, isto porque para além desta promoção esta editora tem outra promoção fantástica que é, se comprares 2 livros com mais de 20€ levas um à borla, de uma série de livros que tens à escolha claro, o qual escolhi o “Exílio”, e como tinha o vale de 5€, e esse é o preço do livro do “Sangue Fresco”, consegui 3 livros numa pechincha, sendo um deles acabadinho de sair. :D
Depois como em todos os meses pensei para mim, pronto já está bom agora não compras mais, por favor como se isso fosse possível, e então numa das minhas idas ao continente vi que haviam livros com 40% de desconto, devido ao dia dos namorados, e mais uma vez desgracei-me e comprei “Se eu Ficar”.
Por fim, no mesmo fim-de-semana chegou-me aos ouvidos que havia uma promoção num site de vendas online e comprei o “Últimos Ritos” que já andava na minha wishlist desde a altura que saiu.
Definitivamente tenho que começar a 1) não ir ver sites de editoras, 2) não sair de casa, 3) parar de procurar livros quando não quero gastar mais dinheiro.
Os livros são a minha desgraça, já não há nada a fazer, o problema é que o espaço começa a ser pouco e daqui a nada tenho que começar a fazer pilhas, o que não gosto nada porque gosto de ter tudo arrumadinho.
Esperemos que para o mês que vem diminua o número de livros. Eu juro que ando a tentar, mas é tãoooo difícil.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Trono de Vidro – Opinião

Nem sei por onde começar esta opinião, mas que livro *-*
Acho que foi dos melhores que li nos últimos tempos, não houve nem um segundo que me fizesse querer parar de o ler, havia sempre qualquer coisinha que me fazia querer saber mais e mais e não parar até o conseguir acabar, só para verem li metade do livro num dia e tinha um teste no dia a seguir (upss, sim eu sei o que estão a pensar: “mas que irresponsável”, a culpa não é minha o livro é que é demasiado viciante).
Desde a sua capa até às suas personagens brilhantes, principalmente Celaena, Sarah J. Maas fez um excelente trabalho com este livro, é um livro de leitura rápida e tal como já disse muito viciante.
Tudo começa numa prisão, em Endovier, na qual está Celaena Sardothien, que foi presa devido a ser uma assassina, aliás a melhor assassina de Adarlan. Celaena é então “libertada” pelo príncipe do reino de Adarlan, que lhe promete a sua liberdade, somente se esta entrar numa competição como seu campeão. Nessa competição ela terá que competir com 23 adversários, em vários estilos de provas, e no final quem vencer será proclamado o campeão do rei, mais propriamente o seu assassino privado. O pior, é que durante a competição os concorrentes começam a morrer um por um, e assim sendo Celaena tem que lutar não só para conseguir obter a sua liberdade, mas também para que consiga sobreviver, tentando descobrir quem estará por detrás das mortes bizarras aos outros concorrentes.
Para além de Celaena, há mais duas personagens principais, o príncipe Dorian e o Capitão Chaol Westfall. Dorian é o galã do palácio, sempre a fazer olhinhos às mulheres que passam por ele, enquanto que Chaol é o capitão da guarda do rei e é ele que guarda Celaena, para que esta não fuja nem cause estragos.
Será que Celaena vai conseguir a sua liberdade, ou vai ser obrigada a voltar para o pesadelo que é a prisão Endovier? Isso só irão saber se lerem o livro, o qual recomendo vivamente.
Não têm nada para ler? Como é possível? Vá, vamos a levantar o cu da cadeira e ir comprar este livro que vale muito a pena.
E agora vai ser horroroso aguentar a espera até sair o segundo, apesar de ser este ano que sai supostamente, é demasiado tempo para esperar. :(

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Accio Books – 4º livro fevereiro 2016

Estamos no fim do mês de fevereiro, mas não é tarde para começar a minha nova leitura. :)
O próximo livro foi-me enviado pela autora, à qual agradeço mais uma vez pela sua amabilidade e simpatia, não só pelo envio do livro mas também pelo textinho escrito no início do mesmo.
Vou então acabar este mês (acho que não vou conseguir começar mais nenhum antes do fim do mês, mas nada é impossível) com o livro “Crónicas de André e Vicente”, escrito pela autora Anita dos Santos.
Vamos lá ver como vai correr a minha viagem pelo Bosque dos Murmúrios. ^_^
Será que André e Vicente conseguem encontrar o Senhor dos Bosques, o único capaz de derrotar o Senhor das Trevas, e recuperar o verde? É isso que vou tentar descobrir. :)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Wicked Lovely: Amores Rebeldes – Opinião

Comprei este livro numa daquelas lojinhas em segunda mão, sendo que estive quase meia hora a pensar se o levava ou não, porque achei que não iria gostar nada dele :/
Depois de um mesinho cá em casa, olhei para ele e decidi que queria algo para desanuviar, depois de ter acabado um livro de mais de 700 páginas, apesar de as expectativas que tinha para ele serem tão baixas que a vontade era pouca. Fiquei super surpreendida e no final de tudo adorei e fui logo tentar arranjar os que vêm a seguir.
No início da narrativa vai começar a ser-nos descritas as fadas, mas não aquelas fadas pequeninas e fofinhas que estamos habituados a ouvir falar, mas sim fadas muitas vezes horrorosas, que gostam de pregar partidas às pessoas, pois o comum humano não consegue vê-las apesar de viverem no mesmo mundo que elas.
A personagem principal desta história é Aislinn, uma rapariga órfã que vive com a sua avó e que tem o poder da Visão, com o qual consegue ver as fadas. Mas Aislinn desde pequena foi ensinada pela sua avó três regras essenciais, ou seja, não podia olhar para as fadas, não podia falar com elas e nunca deveria chamar a sua atenção, o problema é quando é obrigada a quebrar todas essas regras para se conseguir salvar a si, à sua avó e ao seu melhor amigo Seth, quando Keenan o Rei do Verão das fadas, decide que Ash é suposto ser a sua Rainha de Verão e vai tentar fazer de tudo para que isso se torne realidade.
Não achei a personagem Keenan nada de especial, é daquela personagens que se não fosse uma das principais a tirava do livro em menos de 2 segundos. É muito superficial e pensa que o mundo roda à volta dele, e que tudo o que quer tem que acontecer, a bem ou a mal. Apesar de se perceber o porque de ele agir assim, devido a tudo o que se passa no reino das fadas, às vezes apetecia-me apertar-lhe o pescoço.
Quanto a Seth, epá não tenho palavras, é daqueles bad boys que fazem suspirar durante o livro todo, se é que me entendem, tratando a Aislinn com todo o carinho possível e mais algum.
Estou desejosa de continuar esta saga, apesar de estar irritada pelo último livro não ter sido editado em Portugal e por isso ter que o ir ler em inglês, não é que não gosto de ler em inglês, pois às vezes até prefiro, mas é o facto de só faltar um único livro e mesmo assim não o traduzirem e depois ficar a destoar do resto da coleção.
Vamos lá ver se irei gostar tanto dos próximos como gostei deste livro :)

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Accio Books - 3º livro fevereiro 2016

Desta vez venho-vos trazer um post diferente, o qual irei fazer sempre que iniciar uma nova leitura. :)
Escolhi para ler a seguir um livro mais leve e que faça com que eu consiga descontrair um bocadinho, porque o livro que li antes ficou bastante longe das minhas expectativas e demorou-me demasiado tempo a ler. Mas bem, falarei mais desse livro quando fizer a sua opinião, e aí poderão ver o porquê de não ter gostado lá muito dessa leitura.
O livro que escolhi é uma comédia romântica / chick lit e que pelo que ouvi dizer é bastante engraçado, e é então “A Fada do Lar” de Sophie Kinsella, como se pode ver pela imagem gigante ao lado do post. É um estilo de livro que não costumo ler, mas eu necessito de sair um pouco da fantasia porque acho que estou a começar a fazer um nó no cérebro de tantos livros de fantasia que ando a ler e prefiro parar agora do que daqui a uns tempos começar a entrar na fase de atirar livro contra a parede (sim isso é bem capaz de acontecer).
Por isso vamos ver o que vai sair desta experiência, a qual espero desta vez correr bem. Se já o tiverem lido, ou se já leram outro da autora, deixem um comentário a falar sobre a vossa experiência. :) 

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Luz e Sombras - Opinião

Luz e Sombras pertence a uma trilogia escrita pela autora Anne Bishop, a qual tem o nome de Trilogia dos Pilares do Mundo.
Li o primeiro livro desta trilogia o ano passado, nunca tinha lido nada da autora e fiquei maravilhada com o mundo descrito e também com os Fae, o povo belo. E já viram bem esta capa? É tãooooo linda! *-*
Toda esta coleção tem das capas mais bonitas que já vi, até dá gosto tê-las na minha estante. 
Este segundo livro já não se foca em Ari, uma das poucas bruxas que continuam a habitar os lugares antigos, devido a muitas delas terem sido mortas pelos inquisidores, mas sim na Musa e no Bardo, mais propriamente a Lyrra e o Aiden, os quais tentam mudar a opinião de todos os Fae quanto às bruxas, pois todos pensam nas bruxas como sendo um ser sem importância e não veem a relevância que as mesmas têm, pois sem elas Tir Allain deixa de existir.
A relação entre Lyrra e Aiden é magnífica e começa-se a perceber desde o princípio que os dois começam a deixar de ter os mesmos ideais que os outros Fae da sua região, aumentando ainda mais o seu distanciamento para com os mesmos.
Uma das personagens neste livro que me surpreendeu pela positiva ao longo do livro foi Ashk. Ao princípio tive um pouco reticente quanto a se gostava dela ou não, mas no decorrer do livro vamos começando a ter noção da sua personalidade forte e lutadora, sendo que arrisco dizer que foi a minha personagem favorita deste segundo livro, e espero ler muito mais sobre ela no terceiro.
Adorei este livro e estou com altas expectativas para o terceiro, a ver se o leio rapidamente que quero muito saber como acaba esta trilogia espetacular. Não posso dizer que a autora seja a minha preferida, mas está-se a tornar uma das autoras que mais quero ler neste momento.


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

A Última Noite de um Tirano - Opinião

Este foi um livro que, sinceramente, se fosse para o comprar não o comprava, porque não faz muito o meu género. Ganhei-o num passatempo e quando o recebi em casa pensei “Bem de certeza que não vou gostar”, mas estava muito enganada, decidi dar-lhe uma oportunidade e não me arrependi nada. É muito pequenino, tem cerca de 170 páginas e li-o a correr.
Este livro é baseado na última noite da vida de Muammar Kadhafi. No decorrer do mesmo, vão sendo demonstrados os traços da sua personalidade e as ideias que vão dentro da sua cabeça, vendo-se a si próprio como um ser superior, adorado por tudo e todos, quase como tendo sido escolhido para guiar e libertar toda a humanidade do mal que os rodeia.
Vou ser completamente sincera, antes de ler este livro não sabia praticamente nada sobre Muammar Kadhafi, sabia simplesmente que era um tirano e sabia um pouquinho sobre a sua morte de resto era um zero à esquerda em relação à vida do mesmo.
Nunca tinha lido nada do autor, e só o fiquei a conhecer devido a um livro dele que saiu à relativamente pouco tempo e que me surtiu interesse.
Uma das particularidades que adorei neste livro, foi o facto de no decorrer do livro nos ser apresentado pequeninas palavras em árabe, tal como uma ou duas frases em russo o que permitiu aumentar um bocadinho a minha cultura linguística.
Adorei a escrita simples do autor e como ele consegue captar a nossa atenção fazendo com que seja difícil largarmos o livro. Só não o li num dia porque tinha de estudar para os exames, senão acho que em pouco menos de 4 horas o tinha devorado.
A única coisa negativa, no meu ponto de vista, acerca do livro foi o facto de por vezes no mesmo capítulo haver mudanças para o passado de Khadafi, as quais se tornaram um pouco difíceis de acompanhar porque as achei demasiado repentinas.
Definitivamente é um autor que tenho interesse em voltar a ler e recomendo o livro nem que seja para quando se quer fazer um escape do género literário que se está habituado, apesar de avisar desde já que há algumas partes, principalmente nas últimas folhas, que são um pouco gráficas e que podem ferir mentes mais susceptíveis, não se devendo esquecer desde o principio que este livro se passa em cenário de guerra.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Stress Relief - Coloring Book #1

Tal como disse, num outro post, todas as semanas vou postar uma fotografia do antes e do depois do livro de colorir que tenho cá por casa, e aqui fica o desta semana.
A imagem desta semana é aquela que mostrei no outro post, e que já tinha começado a pintar, mas os lápis que tinha não valiam um caracol e agora que já tenho uns de jeito já o pude acabar.
Espero que gostem :)


Antes



Depois

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O Poço da Ascensão (Saga Mistborn: livro 2 ) – Opinião (pequeno spoiler do primeiro livro)

Comecei esta saga em setembro do ano passado, comprei o primeiro não só por causa das excelentes opiniões que tinha lido, como também das maravilhosas capas dos livros.
Fiquei bastante cativada e desde então que se tornou numa das minhas sagas preferidas de sempre, e por isso não tardei a comprar o livro “O poço da Ascensão” e “O Herói da Eras – Parte I”.
Apesar de ter comprado logo o livro, ainda demorei um pouco até o ler porque tinha tantos livros à frente, que tinha comprado antes, que só o consegui ler este ano, sendo que o que realmente me fez ler o livro foi o “O Herói das Eras – Parte II” sair amanhã, e eu andava à procura de uma desculpa para o poder comprar.
Esta é uma saga que agarra o leitor logo desde o inicio, não só devido a personagens como Vin e Kelsier, mas também devido à alomância em si, vou passar a explicar.
Este livro passa-se numa terra governada por um homem, o Senhor Soberano, que é visto como um Deus pelos nobres e skaa, que é o povo escravo. Nesta terra existem pessoas “especiais” as quais possuem poderes, podendo haver indivíduos que só possuem um único poder ou, no caso dos nascidos das brumas, todos os poderes. Os nascidos das brumas são considerados uma grande ameaça, muitas vezes tratados como os assassinos, pois como possuem os poderes todos são quase invencíveis.
Existem vários tipos de poderes e cada um tem um metal envolvido, ou seja, temos o caso do peltre em que torna as pessoas bastante mais fortes e que faz com que a dor seja quase insignificante, ou o estanho que amplifica todos os sentidos, como por exemplo tornar a visão bastante melhor e conseguir ver pessoas ou objectos a quilómetros de distância.
Vou ser sincera, no primeiro livro senti-me um bocado perdida ao princípio com todos os tipos de alomância que me eram apresentados, mas com o entranhar da história tudo se torna mais fácil e passa a ser completamente natural.



*SPOILER ALERT (para quem não leu o primeiro livro)*
O poço da Ascensão vai falar sobre o que ocorreu depois da queda do Senhor Soberano e sobre a tentativa de Elend Venture se tornar no rei do povo, tentando fazer com que os skaa comecem a ter maior qualidade de vida. A tarefa de Elend não é fácil, principalmente quando vê a sua cidade rodeada de exércitos, que lhe querem roubar tudo aquilo que conseguiu conquistar.
*Fim do spoiler*


Adorei a evolução de Elend durante o livro, tal como de Vin, a qual começa a tentar perceber-se a si própria e a entender o que realmente significa a amizade. Para mim a minha personagem preferida durante o livro foi OreSeur, um kandra, ou seja, um ser que consegue modificar a sua forma física quando consome os restos mortais de um outro ser vivo. OreSeur foi para mim a minha personagem favorita devido à sua personalidade diferente, que apesar de ser bastante fiel ao seu amo tinha sempre um tom de arrogância na maneira como se expressava.
É uma saga excelente e dou-lhe definitivamente 5*, recomendo vivamente a pessoas que gostem deste género de leituras. Não se vão arrepender.