terça-feira, 23 de maio de 2017

Illuminae: Ficheiros Secretos_01 – Opinião

Eu estou tão aparvalhada com este livro que nem sei como começar esta opinião.
Tenho a certeza quase absoluta que este livro vai entrar no meu top 5 de leituras deste ano. Que leitura fenomenal! *-* Eu que não sou nada fã de livros de ficção científica que envolvam o espaço, fiquei completamente rendida a esta trilogia.
Só para começar o livro está escrito de uma maneira completamente fora do vulgar, é-nos contada em forma de conversa de chat, há descrições de imagens de câmara de vigilância, relatórios confidenciais, e-mails, sei lá há tanta coisa diferente que é bastante fácil entrar na estória e colocarmo-nos naquele mundo tão longínquo de 2575.
Existem duas personagens principais, Kady e Ezra, dois ex-namorados que se vêm rodeados numa catástrofe no seu planeta, e que vêm tudo aquilo que mais amam lhes ser retirado de um momento para o outro.
Tanto um como o outro são personagens muito boas, ele tem a mania que é engraçado e ela é uma rapariga mais reservada, que tenta a todo o custo não demonstrar os sentimentos que tem com medo de sair magoada. A relação dos dois é muito muito engraçada, dei por mim a rir com algumas mensagens trocadas entre ambos. Acho que neste momento são o melhor par amoroso que tive o prazer de conhecer em todos os livros que li.
Não pensem que este é um simples livro que gira à volta de romance, nada disso, existe muita tragédia neste livro, de tal maneira que dei por mim com vontade de gritar com ele e o atirar à parede mais próxima porque não queria que aquele desenrolar acontecesse, apesar de ter que admitir que foi muito bem pensado.
Desde o princípio ao fim que o livro tem momentos que me fizeram ficar de boca aberta e nota-se que os autores tiveram bastante atenção ao pormenor em tudo o que escreveram.
É um livro com muita ação e que, mais ou menos a partir do meio, faz com que seja impossível o largar. Os acontecimentos que se vão desenrolando são completamente de cortar a respiração pois, é bastante fácil colocarmo-nos no lugar das personagens e viver aquilo que elas estavam a sentir.
Recomendo a todos a leitura deste livro, se pudesse dava-lhe milhões de estrelas no Goodreads. Preciso mesmo que a editora lance o segundo livro da saga rapidamente!

sábado, 20 de maio de 2017

Accio Books – 4º livro maio 201

A última leitura correu particularmente bem e, agora, estou com um pouco de medo de entrar em ressaca literária, esperemos que esteja errada.
A próxima obra que vou ler se calhar muitos de vocês não conhecem, pelo menos nunca ouvi muita gente a falar sobre esta trilogia. Vou ler “Alive” de Scott Sigler, que é o primeiro livro da trilogia “Generations”.
Comprei este livro porque me foi recomendado no Goodreads devido a gostar de obras como “Maze Runner” e “Hunger Games”, por isso estou com esperanças de que vá gostar tanto como gostei das outras trilogias que mencionei.
Pela sinopse, vi que existem algumas parecenças com o “Maze Runner”, por isso espero não ficar a leitura toda a fazer comparações porque, senão, não vou aproveitar nada.
Nesta trilogia há uma coisa que me está a “irritar”. Sei que muitos de vocês também são como eu, e gostam de ter as obras com as capas iguais e, o que aconteceu foi que pelas minhas pesquisas, os Hardcovers têm todos capas semelhantes mas, nos Paperbacks a primeira capa é igual aos Hardcovers, só que os seguintes já não têm nada a ver. Só espero que venham a editar a capa da outra maneira senão ou compro os restantes em Hardcover e vai ficar estranho ou compro em Paperback e ficam muito diferentes entre eles, o que não me agrada nadinha. Bem, qualquer coisa vendo o meu Paperback e depois compro tudo em Hardcover, apesar de não me estar nada a apetecer gastar mais dinheiro nisso.
Já tinham ouvido falar desta trilogia?

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Código de Da Vinci – Opinião

Iniciei este livro quando era mais nova, quando tinha 10 anos mais ou menos mas, devido à violência das autoflagelações que nos são demonstradas ao longo do livro, só consegui ler os 2 primeiros capítulos, e só agora tive coragem, e tempo, de lhe voltar a pegar.
Este é o segundo livro da série protagonizada por Robert Langdon, um conceituado simbologista, que se vê arrastado para uma aventura perigosa e cheia de segredos por desvendar.
Ainda bem que esperei tanto tempo para o ler, porque com 10 anos, acho que não teria aproveitado tanto a leitura, nem tinha percebido metade das coisas que vão sendo transmitidas pelo autor ao longo do livro.
Tenho a dizer que adorei o livro e todos os enigmas descritos ao longo do mesmo são simplesmente fenomenais, só demonstra a grande capacidade de imaginação do autor e também que houve bastante pesquisa por detrás de forma a tornar o livro credível.
É um livro que não tem muitas pausas na acção, há sempre algo a acontecer, o que faz com que seja bastante difícil largá-lo. Tenho-vos a admitir que adoro teorias da conspiração, por isso este livro só me aguçou essa minha “paixão”.
Tenho os restantes livros da saga por ler em casa, espero que sejam tão bons quanto este ou ainda melhores.

sábado, 13 de maio de 2017

The Giver I: O Dador de Memórias – Opinião

Este livro é sem dúvida diferente de qualquer outra leitura que já tinha lido, é uma distopia que faz pensar bastante e que nos envolve naquele mundo desde a primeira página.
Esta estória é-nos contada do ponto de vista de Jonas, um Onze, que vive numa sociedade bastante diferente da nossa. Nesta sociedade as crianças são colocadas em escalões desde que nascem até atingirem o escalão doze. Em cada escalão vão recebendo benesses como, receber um casaco com bolsos aos oito, uma bicicleta aos nove, até chegar aos doze e receberem a missão que terão que desempenhar para o resto da vida, ou seja, o emprego para o qual têm maior aptidão.
Toda esta sociedade é repleta de regras, tais como, ser proibido levar uma maçã para casa, as quais se não forem cumpridas poderão trazer consequências desde serem repreendidos através de um altifalante até serem dispensados para o Outro Lugar. Para eles a vida é feita de igualdade e, se houver mudanças, há motivos para alarme. Para além disso as pessoas não conhecem alguns sentimentos tais como o amor ou o medo. Já pensaram em como será viver sem sentir amor ou ser amados? Nunca me tinha deparado com esta questão, mas definitivamente não seria um mundo onde queria viver.
É um livro que para mim está bastante bem conseguido e que recomendo a qualquer um, mesmo quem não esteja assim tão interessado em distopias, para além disso é pequeno e lê-se num instante.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Accio Books – 3º livro maio 2017

A leitura anterior foi bastante rápida e muito diferente de tudo o que alguma vez tenha lido e, para não sair muito desta onda, escolhi outro livro que sei que também é bastante diferente, não sei se em termos de estórias, mas sim em termos de como foi escrito e a maneira como nos é apresentado.
Estou a falar de “Illuminae: Os Ficheiros Illuminae_01” de Amie Kaufman e Jay Kristoff. Não sei se já se depararam com este livro mas, quem o viu, já deve ter percebido o porquê de eu dizer que o livro é bastante invulgar, pelo menos eu nunca tinha visto nenhum escrito desta maneira.
Do que folheei do livro, deu para encontrar a estória escrita em forma de interrogatório, tem e-mails confidenciais, imagens, vai tendo também notas ao longo do livro e até mensagens de rádio.
Estou bastante curiosa por lê-lo e, apesar de ser um calhamaço de quase 600 páginas, acho que a maneira com está escrito faz com que a leitura seja rápida, pois não me parece ter imensa coisa para ler, como acontece com os livros que têm muita descrição.
Quem conhece esta obra?

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Escrito na Água (Preview) – Opinião

Não sei sou eu ou se é autora mas, tal como o anterior, não consegui entrar no livro e foi uma leitura que não me fascinou.
Primeiro que tudo achei que esta pequena preview tinha demasiadas personagens, o que dificultou um pouco a leitura, visto saltar de personagem em personagem e assim não me foi possível explorar mais sobre cada uma.
Dei por mim nas partes das descrições a pensar na vida, o que também não ajudou nada. Acho que a maneira como a autora descreve faz com que eu vá para o mundo da lua, em vez de me fazer ficar agarrada ao livro. Para mim é demasiado maçador.
Só nas últimas 3 páginas é que comecei a perceber minimamente do que a estória falava, estava tudo a ser demasiado abstracto para mim.
Talvez seja por ter lido pouco, e do pouco que li não ter dado para me entusiasmar, mas vou ficar por aqui e não vou comprar o livro, se não me entusiasmou já, acho difícil vir a gostar dele mais tarde.

terça-feira, 9 de maio de 2017

ASOUE: The Carnivorous Carnival (9º livro) – Opinião

Esta opinião vai ser parecida à que escrevi acerca do livro anterior (ver aqui).
Adoro esta série, acho que está muito bem escrita e faz-nos sentir pena por todos os eventos trágicos e traumáticos que vão ocorrendo ao longo dos livros aos irmãos Baudelaire. O meu problema tem sido que, os livros desde o princípio ao fim serem exactamente a mesma coisa, não mudam muito de uns para os outros, o que começa a torná-los demasiado enfadonhos e já quase nem preciso ler porque, sinto que já sei como tudo vai acabar.
Desde que os livros começaram, foram surgindo dúvidas sobre tudo e mais alguma coisa e, ao longo dos livros, não há muita coisa que tenha sido explicada, o que começa a chatear visto estar há 9 livros à espera de respostas e, sempre que uma réstia de esperança de as ter aparece, já sei que vai acontecer algo que me vai fazer ficar na ignorância. Isto por um lado faz com que queira ler mais da saga porque quero conseguir respostas mas, por outro lado, chateia pois estou mesmo a ver que só as vou ter no último livro.
Apesar de tudo, este livro acabou de uma maneira bastante interessante que me fez ficar com um pouco de vontade de ler o 10º.
Ainda tenho 4 livros desta série por ler, vamos ver se existirá mudanças nos próximos que me façam ficar mais interessada e empolgada com os mesmos.


P.s.: Sempre que oiço esta música lembro-me deste livro.