terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Homem Pintado – Opinião

Este livro é WOW, não estava à espera de nada do que li, principalmente porque não me lembrava de absolutamente de nada da sinopse então foi como entrar neste livro completamente às cegas, o que muitas vezes é bom porque as expectativas são quase nenhumas.
A estória criada pelo autor é diferente de tudo o que alguma vez li, e surpreendeu-me bastante pela positiva. Tenho sempre um pouco de dificuldade em ler coisas muito diferente do nosso mundo, neste caso os demónios, mas a maneira com o  autor consegue prender o leitor fez com que nem me focasse muito nisso e que conseguisse visualizar o mundo por completo sem pensar neste seres espirituais.
Adorei todas as personagens e gostei principalmente de as ver a crescer e a tornarem-se em pessoas maravilhosas apesar do passado que tiveram.
Não dei as 5* a este livro, porque achei que houve partes um pouco maçadoras e com demasiada palha, o que fez com que houvesse alturas em que eu me forcei a ler somente porque estava curiosa em saber o resto.
Já tenho os três próximos livros, já traduzidos para português, por isso espero ler rapidamente. 

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

A Culpa é das Estrelas – Opinião

Não sei muito bem como demonstrar os meus sentimentos perante este livro,  é um livro bom mas  ao mesmo tempo senti que me faltou qualquer coisa.
Li outro livro do autor “Looking for Alaska” e gostei muito mais que este, não sei se teve a ver com a tradução em si ou se foi mesmo diferenças a nível do autor nos quase 10 anos que passaram entre ambas as obras, senti talvez que houve coisas que não transpareceram tão bem como a outra obra.
É um livro que faz pensar bastante mas que acho que faltou qualquer coisa para se tornar num livro memorável, vi o filme e acho que talvez tenha gostado mais do que propriamente do livro, o que é raríssimo.
Admito que ia quase largando uma lagriminha quase no fim, John Green quase conseguiu esse feito, pois acho que até o dia de hoje só houve dois livros que realmente conseguiram entrar e desfazer este meu coração de pedra por uns momentos, por isso estar lá perto já é excelente.
Preciso de ler outro livro do autor para conseguir formar uma decisão definitiva se gosto ou não dele, por enquanto está na prateleira dos autores mais ou menos, vamos lá ver se sobe. :)

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Accio Books – 4º livro fevereiro 2018

O desafio do blog Manta de Histórias para 2018 está a fazer com que eu ande a conseguir ler livros que tinha em casa há carradas de tempo e que andava com preguiça de lhes pegar, e mais uma vez, é o que vai acontecer com a próxima leitura.
Após, talvez, uns dois anos desde que li “Herói das Eras: Parte I” vou ler finalmente a segunda parte “Herói das Eras: Parte II”.
Eu tenho um pouco de problemas em acabar trilogias/séries porque fica sempre aquele gosto agridoce de que por um lado acabei e sei a estória toda mas, por outra lá está acabou, finito, mesmo que volte a ler não será a mesma coisa, e é por isso que tenho imensas séries por acabar em casa, mas ando a fazer um esforço para acabar antes de começar novas.
Esta trilogia foi sem dúvida das que eu mais gostei nos últimos tempos, e a maneira como acabou a parte I deu logo vontade de lhe pegar, mas lá está ficou de lado imenso tempo.
Estou bastante curiosa, porque só oiço dizer bem da maneira como o autor acabou a estória, e espero vir a gostar tanto como o resto das pessoas.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Não Digas Nada – Opinião

Tinha este livro há imenso tempo para ler em casa e depois de uma leitura tão prazerosa como foi “Ao Fechar a Porta” (opinião aqui) decidi que gostava de continuar um pouco na mesma onda.
Que desilusão, o livro está descrito como sendo um Thriller, hmmmmm..... Onde está o Thriller?!
Este livro para mim de thriller não teve absolutamente nada, para mim deveria estar classificado como romance ou algo assim, porque sim como romance o livro seria ótimo agora como thriller nope.
Ir para um livro e a narrativa se desviar um pouco do que estávamos à espera é mau, agora algo assim é completamente horrível, senti-me enganada do princípio ao fim do livro, para além de que não fiquei nada admirada com o final que o livro teve.
Tenho uma coisa boa a dizer sobre o livro, as personagens são boas e carismáticas, sendo possível criar laços com elas rapidamente.
Nunca tinha lido nada da autora, por isso não consigo fazer comparação com os outros livros dela, a única coisa que tenho a certeza é que me vou ficar por aqui porque não me quero desiludir outra vez.
Só dei 2* no Goodreads porque o livro está giro, COMO ROMANCE, porque merecia 1* por me ter sentido aldrabada.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Accio Books - 3º livro fevereiro 2018

Mais uma leitura em andamento. :D
Desta vez voltei a um autor que tem sido bastante aclamado por vária gente e que neste caso há razões para isso. Falo de M. J. Arlidge, o autor da série "Helen Grace", série essa que já li 2 livros e vou agora para o 3º, "A Casa de Bonecas".
Já ouvi dizer que este de todos é o piorzinho, apesar de continuar bom, por isso baixei um pouco mais as expectativas, talvez tenha sido por isso que demorei tanto tempo para lhe pegar.
Em Portugal já foram editados 7 livros do autor, se não estou em erro, e até agora tenho visto excelentes críticas em relação a todos. Só me falta comprar o último livro dele "Mal Me Quer".
Tive imensa pena de há dois anos, quando ele veio a Portugal, à Feira do Livro de Lisboa, ainda não ter nenhum livro dele, só comprei depois por isso não têm o rabisco que eu tanto gosto que tenham. Era uma excelente ideia ele voltar cá Topseller!
Apesar de já ir para o terceiro livro este mês não me sinto com a mesma força para ler como o mês passado, está a custar-me mais pegar nos livros, só espero que isto passe.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Ao Fechar a Porta – Opinião

Grace e Jack parecem ser um casal maravilhoso, ele o marido perfeito e ela a mulher exemplar, e as vidas deles não poderiam ser mais maravilhosas, mas será que é mesmo assim?
Este livro é simplesmente fantástico e arrebatador, impossível ficar indiferente. Uma única frase que poderá resumir este livro poderá ser “A perfeição é uma ilusão”, nada é perfeito por mais que pareça aos nossos olhos, lá no fundo, e se tivermos atentos aos sinais, podemos verificar isso por nós próprios em pequenos gestos.
Muitas vezes não gosto dos livros que estão sempre a viajar entre o passado e o presente, mas tenho que admitir que este livro não seria tão bom se isso não tivesse ocorrido. É-nos possível ir juntando as peças aos poucos e ir percebendo o porquê de certas coisas ditas e feitas anteriormente, e quando juntei tudo no final fiquei completamente embasbacada.
Houve alturas que me meti na pele de algumas personagens e fiquei completamente sem fôlego e amargurada por saber que algo assim poderá acontecer diariamente sem que consigamos perceber. É horrível pensar quanto mais vivê-lo.
Quando tudo parecer demasiado perfeito, desconfiem!

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

The Rose and the Dagger – Opinião

Tenho que admitir que este livro me desiludiu um bocadinho, estava à espera de algo parecido com o primeiro mas senti que não foi bem isso que aconteceu.
Uma coisa que me tinha maravilhado no primeiro livro desta duologia, foi não só romance entre Shahrzad e Khalid, que para mim é simplesmente maravilhoso e diferente, mas também porque nos foi mostrado muito da cultura Árabe que a mim me entusiasma tanto, talvez por ser tão diferente da nossa.
Neste livro, já não houve quase romance nenhum, talvez 20 páginas em 400, o que achei uma tristeza e que me desmotivou, e baseou-se mais na parte mágica que não me fascinou por ai além.
Gostei bastante de nos ter sido apresentadas outras personagens, mas ficou um gosto amargo porque houve personagens que gostava de as conhecer mais e senti que acabou sem que conseguisse conhecê-las melhor, ou seja, é como dar um chupa a uma criança e depois tirar, ai e tal conhece e gosta deles e puff já foram, não tem piada Renée, acho que devias fazer outros livros com estas personagens.
Faltou qualquer coisa a Shahrzad neste livro, achei-a diferente e não gostei desta diferença na personalidade, acho que quando está com Khalid é uma pessoa completamente diferente e isso enervou-me um bocado.
Fazendo um apanhado à opinião, gostei mas não amei como o primeiro e por isso fiquei-me só pelas 3,5*, arredondando para 3 no Goodreads que não dá para dar meias estrelas.