segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Endgame: The Calling - Opinião

Iniciei este livro em 2015 mas só o acabei em 2016, por isso para mim conta como lido em 2016 :)
Foi uma das minhas prendas de Natal e tenho que admitir que foi muito difícil não o ter começado a ler logo no dia que o recebi, mas como estava a ler outro livro na altura, e eu não gosto de ler mais do que um livro ao mesmo tempo, tive que me conter e acabar o outro primeiro.
Já tinha este livro debaixo de olho à bastante tempo, e quando abri o embrulho e me apercebi o que tinha nas mãos fiquei completamente eufórica e aos pulos.
É um livro bastante difícil de largar e que tem uma coisa que a mim me deixa muito interessada que é o facto de ser passado no nosso mundo e me pôr a pensar sobre a possibilidade de uma coisa assim poder mesmo existir. Sim, eu sou um bocado paranóica com estas coisas mas o que se à de fazer.
Endgame é um livro que se baseia na criação da humanidade por parte de Criadores superiores, os quais criaram 12 diferentes linhagens de humanos que serão obrigadas a competir entre si no jogo denominado de Endgame, quando a humanidade começar a ficar demasiado corrompida.
Nesse jogo participa somente uma pessoa de cada linhagem e terão que se enfrentar não só fisicamente mas também mentalmente, devido a possuírem enigmas que terão que desvendar para conseguirem ganhar o jogo, sendo que o prémio desse jogo é conseguirem que todos da sua linhagem sobrevivam e quem perder faz com que toda a sua linhagem seja extinta.
Cada capítulo é contado do ponto de vista das várias personagens e por isso foi mais fácil eu perceber a personalidade de cada um, sendo a minha preferida a Chiyoko, a qual é uma rapariga muda, e que para mim esse facto só a tornou mais interessante.
Sarah e Jago são outras duas personagens que também me cativaram bastante, apesar de que no início a Sarah me estava a irritar um bocado.
Todo o mundo por trás de Endgame me maravilhou  principalmente os enigmas, os locais para os quais foram levados para os conseguir decifrar e todas as civilizações antigas que foram aparecendo ao longo do livro e que me fizeram pensar em muitos dos monumentos do mundo em que ainda não existe qualquer forma de explicar o seu aparecimento ou a sua construção.
Tenho que admitir que ao princípio me fez lembrar um pouco do Hunger Games, mas quando comecei a entrar mais no livro esqueci-me completamente disso, o que só tornou o livro muito melhor.
Estou desejosa de ler o segundo e espero que seja tão bom quanto o primeiro ou ainda melhor.

2 comentários :

  1. Tenho esse e o segundo para ler!
    depois da tua opinião sou capaz de lhe pegar mais cedo do que planeava :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo maravilhoso e o mistério por trás de tudo só o torna viciante :)

      Eliminar